A BOA VIDA Ao Mestre Osvaldo Chaves – de Francisco José Rodrigues

É certo que, no céu, não se terá saudade

Da vida aqui vivida, esta confusa vida

Entre prazer e dor e entre também bondade

E maldade, a maldade que a torna até suicida.

É certo que, no céu, não se terá saudade…

Mas eu não tenho pressa alguma pela ida

A esse vasto lugar de só felicidade.

Pois, que se me retarde ao máximo a partida!

E se saiba que eu muito sofro neste mundo,

Onde por engrenagens sempre estou passando

E onde oscilo, também, da superfície ao fundo.

Porém, eu a viver andei-me acostumando,

De tal sorte que às vezes — ai de mim! — confundo

Com a do céu a vida que eu estou levando.

Poeta, Professor, Betanista
FRANCISCO JOSÉ RODRIGUES

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *