Dia: 7 de dezembro de 2020

Os alunos: construtores do conhecimento. Texto de Mirian Araújo

Lecionar no Ensino Superior sempre foi um dos meus grandes desejos. Isto se tornou possível com o incentivo de uma pessoa que acreditou no meu potencial de educadora, o grande mestre professor Leunam Gomes. Suas orientações metodológicas, na perspectiva da Educação Biocêntrica, me fizeram acreditar que “Em educação sem participação, não há mudança”.  Pude comprovar tudo isso na prática em sala de aula, sob suas orientações.  

Professora Mirian Araújo, de Ipueiras, com atuação em Croatá – Ce.

A  cada encontro nas aulas de graduação, seguindo o roteiro que construí seguindo suas instruções, sentia os resultados positivos.  A metodologia proporcionava momentos de interação com trabalhos em grupos, pesquisa de campo, simpósios, seminários, entrevistas com a comunidade e debates.  Era perceptível o envolvimento dos alunos nos assuntos abordados, porque eles tinham a oportunidade de opinar, aumentando a sua autonomia e, ao mesmo tempo, a sua autoconfiança.

Na introdução da disciplina adotávamos sempre dinâmicas de apresentação dos alunos, com oportunidades para que mostrassem o que já sabiam sobre o assunto. Sem pressa e dando muita atenção. Desta forma, os alunos exercitavam técnicas que podiam adotar em suas próprias aulas, visto que a maioria já exercia o magistério.                                              

Os questionamentos feitos aos alunos na graduação, eles levavam, como tarefas, para entrevistar outros professores da comunidade. Assim eles podiam verificar até que ponto os conteúdos estavam próximos da realidade.  Na aula seguinte os alunos apresentavam as respostas concedidas pelos profissionais e, a partir daí, tornava-se um debate participativo, onde todos tinham a oportunidade de expressar também as suas ideias. Nessa perspectiva, as aulas não se tornavam monótonas e os alunos participavam, construindo o conhecimento de forma prazerosa. Daí então, o encadeamento dos assuntos da disciplina partia dos conhecimentos dos alunos. O aprofundamento dos conteúdos sempre partia do que os alunos traziam para a sala de aula. Isto fazia com que tivessem mais vontade de aprender e aprofundar o que já sabiam.  Os alunos estavam sempre se sentindo construtores do conhecimento. As avaliações dos encontros, realizadas pelos alunos, sempre foram muito boas e isso  só aumentava  o meu desejo de fazer bem melhor e diferente.

Pretendo continuar utilizando esta metodologia, pois acredito na educação participativa, onde o conhecimento é construído coletivamente. “Sempre temos algo para aprender e ensinar”. Posso assegurar que se a gente tiver coragem de ousar e criar oportunidade de participação dos alunos, como diz o prof. Leunam, o aprendizado é garantido, gerando prazer para quem ensina e para quem aprende. 

Mirian Araújo é de Ipueiras, graduada em Pedagogia, Letras, Habilitação em Física e Química. Tem Especialização em Gestão Escolar.  Foi Secretária de Educação em Croatá, Ceará

Comissão Especial de Anistia analisou requerimentos de indenização

Na última quarta-feira, 2 de dezembro, os novos componentes da Comissão Especial de Anistia Wanda Sidou, nomeados pelo Governador Camilo Santana reuniram-se para avaliar  Processos de Requerimento de indenizações pelos danos causados pela ditadura, no Estado do Ceará.

Reunião dos Conselheiros da Comissão Especial de Anistia WANDA SIDOU

A reunião aconteceu no auditório da Casa dos Conselhos da Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos, com a participação dos Conselheiros: FRANCISCO LEUNAM GOMES – Presidente, MÁRCIO DE SOUSA PORTO, representante da Secretaria de Cultura; LEILIANE DOS SANTOS SILVA, Conselheira- titular, representante da Casa Civil; KENNEDY REIAL LINHARES, Conselheiro-titular, representante da OAB-Ce; RICARDO MARIA NOBRE OTHON SIDOU – Conselheiro-titular, representante do CREMEC; FÁTIMA MARIA LEITÃO  ARAÚJO – Conselheira-titular, representante da UECE e FRANCISCO  ANDERSON CARVALHO DE LIMA – Conselheiro titular, representante do Conselho Regional de Psicologia -RP 11 – Ce. Secretário Executivo: Célio Miranda de Albuquerque.

Todas as medidas de segurança foram adotadas para a reunião presencial em que também estiveram presentes familiares e representantes dos autores dos Requerimentos. Demais representantes e convidados tiveram acesso ao local da reunião quando era feito, formalmente, o pedido de desculpas, pelo Estado.

A reunião teve inicio às 14,30 e prolongou-se até às 19 horas para que todos os requerimentos, distribuídos para análise e Parecer dos Conselheiros fossem apreciados e votados, seguindo os procedimentos estabelecidos pelo Regimento Interno da Comissão. Dos 13 Requerimentos, apenas um não foi apresentado, em virtude da ausência do Conselheiro responsável pela apreciação e emissão de Parecer.

Após a apresentação de cada Parecer, tendo sido aprovado pelos Conselheiros, o beneficiário ou seus representantes e convidados eram chamados ao recinto para que, na presença de todos, um dos Conselheiros, autorizado pelo Presidente da Comissão de Anistia Wanda Sidou, em nome do Estado, fizesse, formalmente, um pedido de desculpas pelos danos que lhe foram causados pela ditadura, no Ceará. Alguns dos presentes não contiveram as lágrimas naquele momento emocionante e tão, ansiosamente, esperado. 

Momento mais emocionante: Pedido de desculpas do Estado, representado por Conselheiros, pelos danos causados pela ditadura

PROCESSOS DEFERIDOS:

Raimundo Nonato Teixeira; Lylia da Silva Guedes Galleti; Carlos Costa Jatahy;

Maria Nadja Leite Oliveira; José Eudes Freire Norões; Maria Daciane Lycarião Barreto;

José Arruda Lopes; Rafael Cordeiro de Sousa; José Gentil Lopes; Carlos Thmosekhenko de Sales; Amadeu Alves de Lima e Nilo Rodrigues da Silva.