Reforçando a Saudade!

Spread the love

Dizia o Monsenhor Sabino Loiola, um dos Reitores do Seminário da Betânia, que não se mata a saudade, aduba-se. Parece que foi com este objetivo que Flávio Machado deixou a sua querida Crateús e foi a Sobral rever o Seminário da Betânia. Menino ainda, chegou ao Seminário em 1959 e lá ficou até 1962. Havia um grupo só dos Machados: Fransquinho, Gustavo, Antônio e Flávio. Viajavam de trem até Sobral, como faziam todos os demais que se originavam daquela região. Crateús tinha a maior turma de seminaristas, depois de Sobral. Na Betânia, foi logo rever a estátua de Dom José Tupinambá da Frota, como pedindo licença para visitar o Seminário. Observou o cenário inesquecível dos dois prédios, interligados por aquele grande corredor por onde todos passavam, em fila, pelo menos oito vezes por dia. Na frente, onde ficava o campo de futebol, está a grande biblioteca da UVA e várias salas de aula. Foi ver o pátio interno, a grande área de lazer onde estavam dois campos de voleibol. Hoje a UVA- Universidade Estadual Vale do Acaraú, transformou em um grande local de eventos. Até colações de grau acontecem ali. Foi naquele espaço em que lançamos o nosso livro AD VITAM, em 2015. Possivelmente, lá, iremos lançar AD LABOREM – A Nossa caminhada profissional – Revendo aqueles espaços, é difícil segurar as emoções. Mas vale a pena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *