FESTA DE SÃO JOÃO, de Hairton Carvalho

Spread the love

O sertão tem muita coisa

Bunita da gente vê

Só quem nasceu sertanejo

Pode o sertão comprendê

Que esta gente da cidade

Passa a infança e a mucidade

Sem o sertão cunhecê

Quando anda no sertão

Anda todo agasaiado

Calçado de bota e meia

Cum medo de risfriado

Só toma bãin de chuvêro

Recrama do candiêro

E só come de inlatado

Num sabe drumi de rede

E num se assenta no chão

Não bebe água do pote

Num sabe cumê feijão

Cuns pobre num se mistura

É todo chei de frescura

Quando chega no sertão

Mas o sertão é bunito

Na sua simpricidade

No linguajá dos cabôco

Falando o qui tem vontade

Cum toda convicção

Eu num troco o meu sertão

Pur esta tá de cidade

Lá pode tê muita coisa

De dar adimiração

Coisas bunita, bem feita

Com a maió prefeição

Mas num tem a buniteza

Qui isiste na natureza

Das coisa aqui do sertão

Mas de tudo qui isiste

De bom no nosso sertão

Tem uma festa bunita

E de muita animação

De todas a mais faceira

É a festa da fogueira

A festa de São João

Quando chega o mês de juin

O sertão todo si infeita

O sertanejo se alegra

Com a fartura da colheita

Começa a se perparar

Qui festança de dançar

Sertanejo num injeita

Quando é vespa de São João

O povo fica animado

Os cabôco ganha os mato

De facão, foice, machado

Vão tudo busca madêra

Mode queimá nas foguêra

Nos terrêro iluminado

Derne cedo a muierada

Começa a se prepará

É umas fazendo bolo

Ôtas fazendo aluá

Grude, beiju, tapioca,

Pé de muleque, paçoca

Arroz doce e mucunzá

Os home vão pus roçado

Buscá mio e macaxêra

As muié ralando o mio

Passa a massa na penêra

Faze canjica e pamonha

Numa aligria medonha

Vão fazendo brincadêra

As môças infeita a rua

Cum bandeirinhas de cô

Varre o chão, perpara tudo

Cum aligria e amô

Tudo cum carinho e arte

Cada quá faz a sua parte

Qui tudo tem seu valô

Quando é ditardizinha

Já está tudo arrumado

As cumida já tão pronta

E os terrêro infeitado

Quanto mais no fim do dia

Mais omenta a aligria

Eita qui povo animado

Mas de noite é que cumeça

A festança verdadêra

Os home vão pros terrêro

Mode acendê as fuguêra

E os minino brincando

Já tão é anunciando

O iniço das brincadêra

Os rapaz vão pas budega

Ou se ispaia pela praça

Isperando a hora da festa

Toma uns trago de cachaça

E até mermo a muierada

Toma duas ou três bicada

Que é pa festa tê mais graça

O salão todo infeitado

Tá chei de moça bunita

Todas elas arrumada

Cum seus vistido de chita

Os rosto tudo pintado

Os cabelo pintiado

Preso cuns laço de fita

A garotada se anima

Vendo subir um balão

Soltando fogo de vista

Bomba, foguete e rojão

E o povo todo brincando

Pelos terrêro dançando

Dando viva a São João

Uns ali passa foguêra

Qui a tradição insinô

Dizendo: Meu São João disse

E São Pedro confirmô

Pra selá nossa amizade

Tua hai de sê meu cumpade

Qui Jesus Cristo mandô

E assim vão se divirtindo

Tudo em volta das fuguêra

Assando mio e batata

Gerimum e macachêra

E os home mais disposto

Vão assando os tira-gosto

Pa quem tá na bebedêra

E haja bolo e tapioca

Pamonha, grude, aluá

Bolo de mio, batata,

Arroz doce e mucunzá

Tudo quanto é gostosura

Neste dia tem cum fartura

São João num dêxa faltá

Os rapaz são mais afoito

Pás garota conquistá

Saem pulando as fuguêra

Sem medo de se queimá

Pois cun essas traquinage

Eles mostra a sua corage

Faz as môça suspirá

E as moça casamentêra

Fazendo adivinhação

Bota a bacia na fuguêra

E fica oiando o clarão

Se não inxergá ninguém

O jeito mermo qui tem

É tê a conformação

Ôtas arranja uma faca

E isquenta na fuguêra

E quando a faca tá quente

Infia na bananêra

As letra qui a faca traz

São do nome do rapaz

Essa é casamentêra

Chega a hora da quadria

Os pá vão logo foimando

Os tocadô já tão pronto

E o povo vai se ajuntando

Vem gente de todo lado

Sortêro, noivo e casado

Tudo animado e cantando

O diretô da quadria

Vai lá pa frente gritá

Os pá vão batendo palma

Cumeça então a dançá

É o sanfonêro tocando

E o gritadô avisando:

– Atenção. Vai cumeçá

– Anavan, anarriê

– Todo mundo é pá dançá

– Passeio dos namorado

– Todos segure seus pá

– Túnel, caminho da roça,

– Olha a cobra, coça-coça,

– Todo mundo em seus lugá

E a quadria continua

Na maió animação

– Olha a chuva, cavalinho,

– Cumprimentos, beija mão

– Anavan, anarriê

Chega dá gosto se vê

Toda aquela incenação

Quando termina a quadria

A fulia é uma só

Já tem uns caba melado

De cachaça e de suó

Vai cumeçá o chitão

Todo mundo no salão

Se perpara pu forró

O safonêro Zé Gome

Já insaia um dediado

O triango já tá pronto

O violão afinado

A festa vai cumeçá

O povo pega a dançá

É forró prá todo lado

O chiadin da chinela

Continua a noite intêra

Junta a quintura da festa

Com a quintura da fuguêra

E haja caba melado

De cachaça cum quinado

De suó e de puêra

No amanhicê do dia

Inda tem fogo queimando

A rua ainda infeitada

O pau inda tá truando

Quando a festa é animada

Só se dá pru terminada

Quando o sol tá isquentando

É assim que a gente faz

Nas festa aqui do sertão

Bebe, dança, come e brinca

Na maió animação

Se quisé ficá contente

Venha aqui brincá cum a gente

Numa festa de São João

E é por isso que eu digo

Cum toda cunvicção

A cidade tem suas coisa,

Suas festa, suas diversão

Mas num tem o que é mió

Uma festa de forró

Cuma as qui tem no sertão.

HAIRTON CARVALHO, de Bela Cruz, Ce. Publicitário, Compositor, Poeta e Cordelista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *