Apresentação do livro FEIURA NÃO EXISTE, por ALOISIO RIBEIRO DA PONTE, 29.12.2021

Compatilhar

Estamos aqui reunidos, neste templo regional de cultura e de estudos, a Academia Sobralense de Estudos e Letras- ASEL, para fazer a apresentação do acadêmico deste Silogeu, o escritor Davi Helder de Vasconcelos, com a sua segunda obra, o inédito livro de contos “FEIURA NÃO EXISTE”.

Dr. Aloisio Ribeiro da Ponte

                 

Primeiramente, quero expressar nossa gratidão, sincera e imensurável, ao especial e leal amigo DAVI, reconhecido escritor contista, destacado pela salutar convivência de longeva e sólida amizade, pela escolha da minha pessoa para realizar a apresentação de sua nova produção literária.

O autor é detentor de sólida formação cultural e científica, frequentando, desde os primórdios de sua vida estudantil, escolas organizadas e dirigidas pela Igreja Católica: Escola São Luiz de Gonzaga- o Pré- Seminário, dirigida pelo Mons. Joaquim Arnóbio de Andrade, atualmente, candidato aos altares; o Seminário S. José de Sobral, da Betânia, e o colégio Sobralense, dirigidos pela Diocese de Sobral. Na Universidade Federal do Ceará, recebeu o título de Bacharel em Ciências Farmacêuticas, com especialização em Análises Clínicas. Iniciou-se no Magistério, exercendo atividades , como professor de Biologia e Química, no Colégio Pio X, de Fortaleza, orientado e dirigido pelos frades Capuchinhos da província do Ceará e na sequência no Colégio Sobralense, onde também foi professor de Biologia e Química. A partir de 1977, passou a exercer atividades, como professor de Instituições de Ensino Superior, nas Faculdades- de Filosofia D. José e de Enfermagem e Obstetrícia, de Sobral, precursoras da nossa Universidade Estadual Vale do Acaraú, atuando nas disciplinas Biologia, Imunologia, Microbiologia, Química e Parasitologia, até aposentar-se , por tempo de serviço. Também trabalhou nas Faculdades Inta, ministrando as disciplinas Imunologia e Hematologia e no INFORT- Instituto de Formação para o Trabalho. Paralelamente, exerce atividades comerciais em empresas especializadas na comercialização e no aluguel de materiais médico- hospitalares e de medicamentos – as conhecidas e louvadas EQUILAB SAÚDE e EQUIFARMA.

Fundou, editou e manteve um Jornal Regional ‘ O CIRCULAR’, onde experimentou fazer as suas primeiras produções literárias, usando o pseudônimo JOAQUIM DE NOVAES, título obtido a partir do primeiro nome oficial do escritor “ JOAQUIM Maria Machado de Assis” ( 1839-1908), seu preferido, e pelo sobrenome da sua companheira “ Carolina Augusta Xavier DE NOVAES”( 1869-1904).

Trata-se, o novo livro agora lançado – FEIURA NÃO EXISTE, de uma obra sólida e inédita, rebuscada e ampla, enfeixando textos bem curiosos e excitantes, formalizados zelosamente como apetitosos contos. Destaca-se aqui, a persistência do autor em usar a expressão da linguagem na forma de escrever em prosa, optando por fazer este mister produzindo contos, copiosamente, com perspicácia e apurada boa técnica .Vale destacar que o autor tem optado, oportunamente, por escrever versos, com destaque para uma produção inédita, onde faz louvação e homenagem ao mestre e Professor Pe. Osvaldo Chaves. Também, deve-se assinalar o edificante interesse do autor pela cultura, o folclore, os hábitos e os costumes regionais, pelas escolhas dos fatos, causos, personagens e estórias, registrados nos seus contos. Por este hábito salutar, tornou-se, espontaneamente, num historiador informal, por documentar e registrar muitos fatos reproduzidos, de boca em boca e de geração em geração, mas que, pela falta de formais registros, estão tendendo a passar para o definitivo e repudiável esquecimento. Assinalamos que o autor, com este hábito salutar, comporta-se como outros autores brasileiros que cantam , louvam, divulgam e exaltam as regiões onde vivem, com seus hábitos, costumes e o seu povo: Jorge Amado, na Bahia; Graciliano Ramos, José Américo, Ariano Suassuna e Câmara Cascudo, no nordeste; Érico Veríssimo e Mário Quintana, nas terras gaúchas. José de Alencar canta o Ceará, o seu povo, a sua flora, a sua fauna e a sua beleza e no livro Iracema, registra: “ Verdes mares bravios de Minha Terra natal, onde canta a jandaia, nas frondes da carnaúba; Verdes mares, que brilhais como líquida esmeralda aos raios do sol nascente, perlongando as alvas praias ensombradas de coqueiros…”; e ao referir-se à heroína do seu romance nos diz: ”...IRACEMA, a virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna, e mais longos que seu talhe de palmeira. O favo da jati não era doce como seu sorriso; nem a baunilha recendia no bosque como seu hálito perfumado. Mais rápida que a ema selvagem, a morena virgem corria o sertão e as matas do IPU, onde campeava sua guerreira tribo, da grande nação tabajara…”. O conterrâneo Domingos Olímpio retrata, também, no seu romance LUZIA – HOMEM, a sua terra e o seu povo, destacando a força e a bravura da mulher sertaneja sobralense, expressados nos feitos da protagonista de sua obra.

Mergulhando no estudo e na análise da nova obra lançada pelo escritor contista Davi Helder, encontramos 57 contos escritos em textos curtos, porém plenamente suficientes; com ordenamento crescente de relatos jocosos e dinâmicos; com prevalência contumaz da surpresa e do suspense e com riqueza de dramas, vivências e estórias, sem a quebra da unidade e da ampla e plena compreensão.

A partir de dados, relatos, fatos e causos, plenamente verossímeis, vividos pelo autor ou conhecidos por ele, em estudos e sondagens, os contos surgiram com maestria e beleza, registrados elegantemente pela sua pena, embora, com muitos personagens disfarçados diligentemente com nominações fictícias. Em muitos contos o próprio autor é o protagonista, porém destaca, neste elenco, muitas pessoas que têm marcada liderança e que são fácil e prontamente reconhecidas.

Com a publicação deste segundo livro de contos – FEIURA NÃO EXISTE, agora com 57 produções, o autor consolida a sua opção pela vida literária. Verifica-se, agradavelmente, que há um vertiginoso crescimento quantitativo, pelo tamanho da presente obra( o primeiro livro publicado contava 40 contos), entretanto, o que mais merece destaque é a qualidade do apresentado. Deste modo, as literaturas sobralense e cearense ficam enriquecidas com o advento desta nova obra literária, pelo padrão de tratar dos costumes da região e do seu povo.

Assim. o livro de contos FEIURA NÃO EXISTE, agora lançado, do autor Davi Helder de Vasconcelos, definitivamente, deve ser inscrito, com louvor e destaque, como integrante da nossa literatura regional, pela temática que aborda, mas, pela sua qualidade, vai figurar brilhantemente, na galeria dos grandes contistas nacionais.

Resta agora, que todos leiam o livro, com deleite e satisfação, pois, com firmeza e segurança, estamos avalizando esta proposta. O cumprimento desta prazerosa tarefa trará a plena realização da missão do leitor.

Por fim, queremos destacar que hoje recebemos do escritor Davi Helder de Vasconcelos, este presente de Natal, o seu novo livro- FEIURA NÃO EXISTE, mas, também, ele receberá, efusivamente, de todos nós, o abraço e as felicitações mais acaloradas, pelo seu aniversário natalício que, hoje- 29 de dezembro, comemoramos. Parabéns, Davi, pelo seu novo livro e pelo seu aniversário de 72 anos.

      VEJA E RECOMENTE ESTE SITE: professorcom-prazer.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *