NA DITADURA, DOIS PADRES CEARENSES LEVAVAM E TRAZIAM NOTÍCIAS DOS CONTERRÂNEOS EXILADOS NA EUROPA. Edição de 10 de dezembro

Compatilhar

Hoje, Mailson Furtado Viana, Prêmio Jabuti de Literatura em 2018, lançará livro na Livraria Lamarca, na AV. da Universidade, 2475, às 19h.

No distrito de Juá, em Irauçuba, funcionou, como muito êxito, uma turma de Pedagogia. Tudo dentro de uma perspectiva biocêntrica.

Resultado: todos os concludentes, muito felizes com o curso, registram o aprendizado que se deu com muito êxito. Os depoimentos dos alunos são impressionantes.

Trabalho pedagógico e administrativo conduzido por uma pessoa de alta sensibilidade e muita competência: Professora Mestra Muldiane Pedroza, aniversariante de ontem.

Professora Muldiane Pedroza

É gratificante observar ex-alunos fazendo sucesso. Todos os que foram meus alunos no curso de Letras da UVA entusiasmaram-se com seus trabalhos.

Destaco: Guida Pontes e sua prima Vânia Pontes. Ambas com Doutorado. Uma na UVA e a outra na FAL, em Sobral. Foram minhas alunas de Literatura Cearense.  São de Ipueiras.

A sala de aula é o local mais importante da escola. É o que afirmamos, por experiencia própria, em nosso livro PROFESSOR COM PRAZER. 

De nada adiantam as festas para recepção aos alunos na Escola, se o ambiente específico na sala de aula não for acolhedor. Aliás, não são as festas que conquistam.  É a atenção pessoal.

Sem a preparação dos professores, isto não acontecerá. A maioria de nossos professores veio de escolas autoritárias. É necessário preparação para um novo jeito de tratar os alunos.

É uma pena que as escolas estejam voltadas apenas para números, pra notas, para as avaliações externas. Se as atitudes e comportamentos não mudarem, não haverá escola atraente.

Para isto é necessário capacitações com novas metodologias. Repetir o quer se faz há anos, só com palestras, nada muda. Pior ainda: os professores não acreditam mais.

A alternativa é a Educação Biocêntrica. Quem já está aplicando percebe os resultados. As mudanças na escola não acontecem por determinações dos gestores.

Mons. Assis Rocha

O Mons. Assis Rocha, (foto) Mestre e Doutor em Comunicação Social, articulista aqui do site professorcomprazer.com  prestou apoio inestimável aos asilados brasileiros no exterior, na ditadura.

Em parceria com o Padre José Maria Cavalcante, falecido, levava e trazia notícias para as famílias. Gravavam mensagens dos familiares, no interior do Ceará, e levavam  para a Europa.

Os palavrões deixaram de ser cochichados. Agora estão na TV, transmitidos pela mais alta autoridade do país. Quem diria?

Muita gente já apanhou, em casa, por dizer palavrões. Outros tiveram que sair da sala de aula, pelo mau exemplo aos colegas. Todos tinham que se confessar. Até chamar pelo cão era pecado.

Agora, por carência de vocabulário apropriado, o palavrão foi para a sala de visitas. Aliás, está presente na reunião das mais altas autoridades do país, realizada em 22 de abril de 2020.

A gravação da reunião, que pode ser encontrada no Google, mostra o nível da linguagem adotada pelas autoridades. Pelo visto, a presença de mulheres não inibiu os palavrões.

Um péssimo exemplo e realça o tipo de pensamento predominante entre os atuais dirigentes. Precisaria disto ou a Bíblia tem razão: A boca fala do que o coração está cheio?

Quem precisar fazer alguma reclamação pelo mau funcionamento de algum serviço ou pela perturbação de vendas por telefone, precisa antes fazer exercícios de paciência.

Os sistemas parecem ser montados para complicar a vida do consumidor. É para o cliente desanimar. Basta tentar e confirmar. 

Há vários dias tento reclamar de ligações telefônicas em que no painel do celular aparece POSSIVEL FRAUDE ou SPAM SUSPEITO.  Onde denunciar?  São mais de dez ligações diárias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *